Gostou? compartilhe!


Por Danielle Bohnen
A evolução da industrialização mundial tornou cada vez mais necessário o uso da energia. Por causa disso, iniciou-se uma busca frenética por recursos que disponibilizassem de forma abundante a energia exigida pelo mundo moderno, que fosse também economicamente viável.
O processo de industrialização, globalização e políticas econômicas, levou à demanda cada vez mais intensa de energia elétrica para o uso de equipamentos, hoje primordiais para a maioria das sociedades, bem como, combustível, pelo aumento de veículos automotores e máquinas industriais.
Diante deste quadro, não houve melhor ocasião para a exploração desenfreada dos combustíveis fósseis, responsáveis por mais de 80% de toda a produção de energia elétrica do mundo, por isso são a principal fonte de energia.
Tal como o próprio nome sugere, os combustíveis fósseis são formações derivadas de fato por produtos fossilizados, ou seja, plantas e vegetais mortos que foram há bilhões de anos soterrados com os sólidos que formam as rochas sedimentares. Pode ser encontrados em forma de petróleo, gás natural e carvão vegetal. Mais adiante veremos as particularidades que caracterizam cada um.
Hoje em dia, temos muitas formas para a obtenção de energia, que são classificadas como renováveis ou não-renováveis. As primeiras são aquelas que podem ser utilizadas diversas vezes, ou seja, não se esgotam. Assim como, a energia solar, abiomassa, eólica, entre outras.
Já as não-renováveis, demoram bilhões de anos para formarem-se e suas reservas, apesar da sua grande extensão, são limitadas e não podem ser reutilizadas, nem repostas. Aqui é onde entram os combustíveis fósseis. É praticamente impossível a recriação de reservas de combustível fóssil em laboratório, por ser altamente custoso e de baixa qualidade.
Os combustíveis fósseis são foco de muitos países, principalmente os desenvolvidos, principalmente América do Norte, que produz 80% da energia com a utilização dessa fonte e representa 30% do mercado consumidor mundial, porém as reservas de seu território são limitadas a 4%, por isso acontecem as guerras e acordos internacionais. As maiores reservas do mundo encontram-se no Oriente Médio, assim podemos notar com facilidade porque essa região é uma das que apresenta contraste acentuado de classes sociais, bem como, conflitos e guerras.
O principal problema gerado pela queima de combustíveis fósseis é o resto que sobra da combustão. O gás carbônico é o principal componente resultante que fica suspenso na atmosfera, a grande concentração deste gás leva à poluição do ar, altamente prejudicial à saúde humana, animal e ao meio ambiente.
 
Fumaça oriunda da queima do carvão mineral - Fonte: Brasil Escola
Além disso, a concentração de gases poluentes leva ao aumento do efeito estufa, responsável por manter a temperatura terrestre propícia para a manutenção da vida. Mas, o excesso do efeito estufa resulta no aquecimento global. A causa principal dessa mudança climática é o derretimento das crostas polares, fazendo com que aumente o nível dos mares e, em questão de alguns anos, pode acontecer o desaparecimento de ilhas e cidades litorâneas, por inundação. Pode também alterar o clima, tornando os invernos mais curtos e os verões mais longos.
Carvão Mineral
O carvão é resultado da mistura de componentes orgânicos sólidos, que foram fossilizados ao longo de bilhões de anos. A sua qualidade é determinada pela quantidade de carbono que varia de acordo com o tipo dos componentes e o estágio no qual se encontram.
O primeiro estágio é denominado por “turfa” e tem baixo conteúdo de carbono, ordem de 45%. Já o “linhito,” apresenta um teor de carbono que varia entre 60% e 75%. Depois o estágio é do carvão betuminoso, “hulha”, ideal para uso como combustível, varia a quantidade carbono entre 75% e 85%. Já o “antracito” é o estágio que o carvão encontra-se em sua forma mais pura, pois apresenta quantidade de carbono que supera os 90%.
 
Carvão mineral
Sua extração é feita através de minas de carvão. Os depósitos podem ser encontrados em camadas mas próximas da superfície, o que torna sua extração mais simples ou em camadas mais profundas, que requer uma extração mais complexa e custosa.
 
O carvão é responsável por 39% de toda a produção de energia elétrica mundial, conforme dados do Balanço Energético Nacional, fornecido pelo Ministério de Minas e Energia, em 2005. Isso mesmo, apesar dos graves impactos para o meio ambiente, o carvão é um dos recursos mais utilizados para a obtenção de combustível e eletricidade. Isso acontece porque existe ainda uma grande abundância de reservas e sua distribuição geográfica facilita a extração, além disso, há baixo custo, bem como, estabilidade dos preços.
 
Entre os problemas ambientais causados pelo carvão, o maior dos poluidores entre os combustíveis fósseis, está a erosão do solo pela extração, a formação de chuva ácida pelos gases emitidos com sua queima, bem como contaminação do ar.
 
Usina de carvão mineral
 
Algumas tecnologias estão sendo desenvolvidas para diminuir o impacto causado pelo carvão mineral. Uma das técnicas é lavar o carvão para tirar as impurezas. Para evitar a chuva ácida, algumas termelétricas podem retirar o dióxido de enxofre. Outra alternativa é bombear o gás carbônico ao subsolo que pode ser lançado às minas de carvão que faz expulsar o gás metano que pode ser utilizado como combustível da usina ou em reservas de petróleo para facilitar a sua extração.
 
O carvão também é largamente utilizado na indústria química para a obtenção de plástico, piche, corantes, naftalina, tintas, fertilizantes, etc. Auxilia também no derretimento de minério de ferro para a obtenção do aço.
 
Petróleo
 
É resultado da decomposição de matéria orgânica e leva bilhões de anos para se formar. Trata-se da mistura de hidrocarbonetos, ou seja, moléculas de carbono e hidrogênio, origem da decomposição. O principal produto da matéria orgânica são os plânctons, seres microscópicos e vivem na água. Por isso petróleo é encontrado, principalmente, no fundo de oceanos, mares e lagos.
 
O petróleo é uma substância oleosa encontrada em bacias sedimentares, que são formadas por camadas porosas de areia, arenito ou calcário. Já era conhecido há milhões de anos porém, foi somente no século XIX com a Segunda Revolução Industrial que iniciou-se a exploração e perfuração de poços de petróleo. Seu transporte é feito por tubos extremamente largos, ou, em caso de distâncias longas, por navios petrolíferos.
 
 
O petróleo é utilizado principalmente como combustível para máquinas industriais e veículos automotores, com uma cifra de 40% de todo o consumo mundial de combustíveis fósseis. Apesar de, hoje em dia, haver outras formas para a obtenção de energia elétrica, o petróleo é ainda bastante utilizados para esse fim, com a marca de aproximadamente 7% de toda a eletricidade gerada no mundo.
 
Hoje a demanda de petróleo gira em torno de 80 milhões de barris. A tendência é que continue crescendo a cada dia em ritmo acelerado, mas que alcance um pico e comece a declinar. Não se tem ideia ainda de quando a produção chegará a esse clímax, mas a partir daí certamente o preço do barril irá aumentar, modificando a economia de diversos países.
 
 
Gás natural
 
Trata-se de um combustível fóssil encontrado em estruturas geológicas sedimentares e como tal é uma fonte de energia esgotável e não-renovável. Mas apesar disso, é o combustível fóssil que menos emite gases poluentes, com fácil dispersão em caso de vazamentos, bem como, baixo índice de odor e contaminação, além de ter fácil manejamento e transporte. Sua aplicação é mais voltada ao funcionamento de equipamentos tais como motores, maçaricos, fornos, fogões, etc.
 
Uma tendência que vem ganhando força nos últimos é o emprego de gás natural em transportes, produção industrial e na termoeletricidade, ou seja, a obtenção de energia elétrica, através de usinas específicas.
 
 
O gás natural é menos denso que o ar da atmosfera terrestre e é constituído principalmente de metano (CH4). Tem como caracetrísticas ser altamente inflamável e pode ser encontrado em reservatório subterrâneos próximo às reservas de petróleo, por isso, sua extração é feita de forma semelhante.
Por não apresentar odor, é necessário a mistura de outro componente químico, para detectar a fuga de gás. Depois de armazenado em tanques, o gás é distribuído através de tubos das termelétricas até às residências e fábricas para a obtenção de eletricidade.
O gás natural na termoeletricidade já ocupa um espaço importante na produção mundial com a marca de 19% de geração de energia elétrica. No Brasil, a matriz energética gira em torno dos 5,6% do consumo total.
 
 
As Termelétricas
A energia elétrica é gerada com menores custos, pois a construção de uma termelétrica demanda menos investimento do que uma hidrelétrica, mas com maior impacto ambiental.
A termelétrica é formada por turbinas que são acionadas pelo vapor resultante da queima do combustível fóssil.
Sua localização depende da proximidade com o mercado consumidor e não pelo relevo, como acontece com as hidrelétricas, o que permite sua construção em áreas de maior demanda e assim, as despesas com transmissão tornam-se muito menores.
 
Usina Termelétrica Santa Cruz do Sul - RS
Fontes:
UOL Educação
FIEC
Veja
Escola Viva



Gostou? compartilhe!